MACUNAIMA VAI VOTAR


As eleições passaram. Todos saímos de casa, votamos e voltamos para nossas vidas. Fico pensando: Até que ponto aqueles botões grandes da urna eletrônica podem definir os rumos de uma população inteira? Será mesmo que o ser humano nomeado como prefeito ou vereador, pode realmente redefinir ou criar situações? Ou seja, será que essa tal de democracia funciona mesmo?

Há uma relação direta entre o dinheiro gasto em propaganda eleitoral e o número de votos ganhos. E este fato me faz lembrar de uma caixa de sabão em pó. Imaginem por um momento, publicitários reunidos para resolver este problema: Como vender esta caixa de sabão em pó? O produto tem lá suas qualidades, mas defeitos também. Faz se então várias manobras intelectuais para ressaltar as qualidades e esconder os “probleminhas”. Lotam-se as ruas de panfletos, cartazes e placas; soma-se isso a uma imagem que nem sempre condiz com a realidade. Por trás deste desejo de ser um prefeito ou vereador, pode estar simplesmente uma vontade de ser funcionário público, bater carteira e cumprir sua função. Se fosse só isso estaria muito bom.

Sabemos que a imagem dos políticos não é muito boa nos tempos de hoje. Associamos logo com roubalheira, corrupção e dinheiro fácil. É preciso neste momento diferenciarmos “política” de “politicagem”. Quem pratica a politicagem, o politiqueiro, faz de tudo para conseguir votos, usa e abusa de propaganda suja e falsa e, quando eleito, não entende bem qual sua importância para a população. Trata então de fazer um pé de meia e, sobretudo, se preparar para as próximas eleições, tentando comprar votos. Uma das maneiras mais corriqueiras de se comprar votos, de maneira bem indireta e sutil, é realizar obras de fim de campanha e oferecer serviços gratuitos a população sob seu nome.

Parando por aqui, tento imaginar o que queremos realmente. Nos vendemos por tão pouco assim? Começo a entender porque há a necessidade de existir uma população mais pobre e ignorante, pois estes darão os votos comprados com mais facilidade. E me diga: A maioria da população brasileira, por um acaso, é culta e rica?
Sinto que vivemos numa democracia da miséria. Espalha-se a miséria (econômica cultural e sentimental) por todo país, e por conseqüência, mantém-se as mesmas pessoas no poder, como as mesmas idéias obsoletas.

Mudar?

Ai, que preguiça…

 

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s