“CALOR? CALOR É PSICOLÓGICO!”


Ribeirão Preto, sábado bonito de outubro, os termômetros indicam 41 graus às 12h e 50min, e eu me dirijo ao curso de psicanálise. Antes, paro para comer um lanche na padaria e duas garotas conversam no balcão:

– “Nossa que calor!” A outra responde ironicamente:

– Calor? Calor é psicológico!

Depois de ouvir isso dou uma mordida em meu lanche e penso: o que significa dizer que o calor é psicológico? Geralmente se diz que algo é psicológico como se afirmasse que tal coisa não existe, não passa de ilusão ou bobagem da cabeça de alguém. Dizer que calor é psicológico fica mais como uma brincadeira do tipo: “Também estou sentido, mas vamos fingir que isso não existe, ok?”

Em oposição ao “psicológico” está o “orgânico”. Se um sujeito sente alguma coisa, por exemplo, uma dor no braço, tipo uma inflamação, ele vai ao médico. O médico diz: “Você tem uma inflamação, portanto, tome este remédio e volte daqui duas semanas”. A inflamação é “real”, está localizada e pode ser aliviada com uso de medicamentos específicos. Em resumo, o órgão inflamado (e a inflamação é um processo orgânico detectável), causa dor, o sujeito sente a dor que o faz procurar ajuda médica. Diz se então que a dor é “real”, e não “psicológica”. Em outro exemplo, o paciente vai ao médico e diz: “Doutor, estou com dor no estômago”. Após uma série de exames, o médico cansado diz: “Olha, isso é psicológico, procure um terapeuta.” O médico pode ter consultado o CID -10 e “caiu” no seguinte diagnóstico:

F45 – Transtornos Somatoformes:
A característica essencial diz respeito à presença repetida de sintomas físicos associados à busca persistente de assistência médica, apesar de os médicos nada encontram de anormal e afirmam que os sintomas não têm nenhuma base orgânica. Se quaisquer transtornos físicos estão presentes, eles não explicam nem a natureza e a extensão dos sintomas, nem o sofrimento e as preocupações do sujeito (Código Internacional de Doenças, Edição 10 – CID-10)

Então, como se trata de algo psicológico, não há nada a se fazer. Talvez um psicólogo resolva, ou, como o calor, o isso vai passar com tempo. Pelo menos esta é a crença mais comum… De não ligar muito para o que é “apenas psicológico”. No entanto, pode ser que o assassino Lindemberg, que seqüestrou e matou a namorada, poderia estar plenamente saudável organicamente, embora psicótico.

Enfim, o calor passa, “tudo passa” como dizem…

2 comentários

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s