PROPAGANDA DO HSBC "MOSTRA"A PSICANÁLISE


Há um tempo tem sido veiculada uma propaganda na televisão do banco HSBC (http://www.youtube.com/watch?v=dwKtETmd5tI ) que ressalta as qualidades bem diretas e práticas do banco, em que você pode resolver tudo pelo computador. No inicio do vídeo, um paciente bate a porta do Dr. Sigmund (uma alusão clara a Sigmund Freud) que abre a porta e diz convicto ao rapaz: – “A culpa é da sua mãe.”

É realmente engraçado, e tenho que confessar que gostei da propaganda. No entanto, a propaganda mostrou a mim mais algumas coisas que queria compartilhar aqui.
Com o pouco tempo que temos hoje em dia, resolver pagamento de contas, transferências de dinheiro, e outros, pelo computador pessoal, são um grande feito da tecnologia. A mesma tecnologia que nos permite poupar tempo nas filas de banco ainda não foi eficaz em aliviar o sofrimento humano. “Que bom seria se as coisas fossem diretas assim” (diz o narrador do vídeo), se com uma tecla do computador apagássemos memórias aversivas ou evitássemos repetir as mesmas “burradas” com os outros. Mas de fato, quando se trata da vida real, pouco valem as repostas diretas. Por exemplo, uma pessoa muito querida sua morre. E você já tem todas as respostas: (1) Todos que nascem, morrem, (2) Ele vai para o céu e estará bem por lá, e assim por diante; Mas mesmo assim você chora e sofre a perda como se surpreendesse, como se já não soubesse que isso iria acontecer, e você já sabia disso, já tinha as respostas. Ou seja mesmo sabendo que todos vamos morrer algum dia, sofremos muito a perda de alguém. Nossa vida emocional está bem longe de responder de pronto a respostas racionalmente claras.

Lembro-me agora de uma personagem da novela da Rede Globo (Caminho das índias), a Mel (Christiane Torloni), cuja vida é ocupada por visitas constantes a esteticistas, e tem um relacionamento com seus filhos e familiares bem parecido com aquele que temos com um caixa de banco eletrônico. Seu filho, Tarso, tem mostrado sinais de esquizofrenia, mas os familiares se preocupam em esconder de todos e de si mesmos, algo que já é bem tratado pela ciência. Procuram desesperadamente algum profissional ou corrente ideológica, que diga que seu querido filho não tem nada, e está normal, procuram alguma maneira rápida e direta de acabar com todos seus problemas, como se fosse o HSBC Direct.

Machado de Assis, em seu romance “Memórias Póstumas de Brás Cubas”, coloca o problema de forma divertida. Bras Cubas quer criar o Emplastro Brás Cubas, que supostamente curaria a humanidade de todos seus males. Não tão diferente, e pateticamente, nós sempre procuramos as vias rápidas e fáceis de solucionar problemas, que no fundo não são exatamente problemas. Devem ser encarados como resultado de nossa história pessoal, vistos com carinho e muita atenção e, portanto, não podem ser eliminados com um bisturi ou com o apertar de uma tecla.

3 comentários

  1. Parabéns pelo blog, gostei muito do texto, vou continuar lendo…

    Vai dizer que vc não pensou besteira com esse slogan do HSBC? Direto como você. xD

    Curtir

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s